Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 16/03/2018

Brasília, 16 de março de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, de demitir seu conselheiro de Segurança Nacional, Herbert Raymond McMaster, e a indicação de que o chefe do executivo norte-americano possa demitir outros funcionários da Casa Branca em breve afeta a cotação do dólar que cede ante ao euro, libra e iene. Apesar do imbróglio político nos EUA, bolsas europeias operam levemente em alta, enquanto os futuros de bolsas de Wall Street trabalham sem direção definida. Já as commodities metátlicas e petróleo ganham valor.

Interno: calendário econômico esvaziado transfere as atenções para o noticiário. A decisão do governo federal de não liberar um desbloqueio de recursos do Orçamento, mesmo com a forte arrecadação nos primeiros meses do ano. A avaliação é de que ainda há muitos riscos fiscais ainda no radar. Também circula a informação de que o secretário de Governo, Carlos Marun, pretende se licenciar do cargo para retornar ao posto de Deputado para apresentar pedido de impeachment contra o ministro do STF, Luís Roberto Barroso.

Juros: o anúncio da compra da Fibria pela Suzano tende a movimentar os negócios na Bovespa. O cenário externo ligeiramente mais favorável também deve auxiliar a bolsa paulista a se recuperar no dia.
Bolsa: as incertezas políticas nos EUA e a agenda esvaziada internamente devem provocar oscilações limitadas nos juros futuros.
Dólar: dúvidas quanto a liderança do comando dos EUA após Trump demitir seu conselheiro de Segurança Nacional faz com que o dólar ceda ante as moedas fortes (euro, libra e iene) e ganhe valor frente as moedas emergentes. Nesse sentido, o dólar tende a seguir valorizado frente ao Real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.