Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 16/01/2018

Brasília, 16 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a reabertura dos mercados em Wall Street, após o feriado de ontem, ensaiam alta nas bolsas europeias e futuros de bolsa dos EUA. O aquecimento aparentemente mais sustentado da economia global fornece suporte para que as praças acionários continuem buscando novos níveis. Na agenda, o destaque será a divulgação da sondagem industrial do Fed de Nova York com previsão de estabilidade.

Interno: o clima externo favorável e dados consistentes de recuperação da economia nacional ainda ajudam no viés positivo para os ativos de risco. Vale lembrar que as incertezas quanto ao julgamento do ex-presidente Lula, no campo jurídico e político, e a situação desafiadora da reforma da Previdência seguem no radar. Na agenda de indicadores, a alta de 0,79% do IGP-10 de janeiro ante a elevação de 0,90% em dezembro revela desaceleração do índice de preço.

Bolsa: os ganhos das principais praças acionárias ao redor do globo e dados econômicos nacionais positivos devem ajudar o Ibovespa testar a resistência dos 80 mil pontos. Cabe destacar que a queda do petróleo e das commodities metálicas podem limitar o movimento.
Juros: a desaceleração do IGP-10 de janeiro, em linha com as expectativas, deve-se contrapor a pressão da taxa de câmbio doméstica e influenciar a curva de juros. Assim, espera-se estabilidade dos vencimentos de curto prazo e leve alta nos demais vértices.
Dólar: a apreciação do dólar frente as moedas internacionais pesa no negócios domésticos ligados a taxa de câmbio. Por outro lado, o fluxo de venda de exportador tende a limitar a oscilação do dólar ante ao Real. Nesse sentido, espera-se volatilidade na paridade Real/Dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.