Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 15/12/2017

Brasília, 15 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados encerram a semana com viés ligeiramente negativo com bolsas europeias em queda e volatilidade do dólar ante as moedas internacionais. Os debates em torno da reforma tributária nos EUA geram cautela por conta dos sinais de resistência ao projeto na própria base republicana, como demonstrado ontem pelo Senador Marco Rubio. Vale lembrar que no mercado financeiro dos EUA tem vencimento quadrúplo de contratos futuros e opções e isso pode deixar os ativos financeiros voláteis.

Interno: investidores locais devem manter a defensiva diante do ceticismo com a perspectiva de votação da reforma da Previdência apenas em fevereiro de 2018. Aliado a isso, incertezas com o quadro eleitoral reforça o viés ligieramente negativo para os ativos domésticos.

Bolsa: oferta inicial de ações (IPO) do Burguer King Brasil e BR Distribuidora devem limitar a magnitude de baixa prevista para o Ibovespa. Bolsas europeias em baixa e incerteza sobre as reformas nos EUA (tributário) e no Brasil (da Previdência) corroboram a previsão de queda do índice acionário paulista.
Juros: a ressaca dos investidores por conta do fracasso do governo em votar a reforma da Previdência este ano e dólar volátil no exterior devem pressionar os prêmios da curva à termo de juros. Nesse sentido, espera-se alta dos vencimentos de médio e longo prazo e estabilidade nos vértices mais curtos.
Dólar: a volatilidade das moedas internacionais ante ao dólar devido as incertezas quanto ao andamento da reforma tributária nos EUA e descrença dos investidores locais em relação a chance da reforma da Previdência ocorrer em fevereiro de 2018 mantêm pressão sobre a taxa de câmbio doméstica. Asim, o dólar tende a ganhar valor frente ao Real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.