Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 15/10/2019

Brasília, 15 de outubro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: As expectativas renovadas de avanço nas relações comerciais entre EUA e China, depois das últimas discussões, ainda da suporte positivo para os mercados. Na Europa, ganhou força nos últimos dias o cenário de saída negociada do Reino Unido da União Europeia (Brexit) favorecendo assim a libra. Na agenda, a divulgação das perspectivas econômicas mundiais pelo FMI, nesta manhã, pode alimentar a cautela dos agentes. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsas de Nova Iorque sobem, enquanto as commodities e o Petróleo caem. O dólar ganha valor ante a maioria das divisas internacionais.

Interno: O cenário político segue no foco dos agentes diante da crise entre o PSL e o presidente Jair Bolsonaro. A informação de que a Polícia Federal cumpre busca e apreensão em endereço ligado ao deputado federal e presidente do PSL, Luciano Bivar, mostra o momento de tensão mais acentuada da política e seus efeitos em termos de apoio ao governo no Congresso. Na agenda, a possibilidade do Senado votar hoje o projeto de lei que trata da partilha da cessão onerosa será monitorada, pois influencia a votação em segundo turno da reforma da Previdência.

Bolsa: Embora sem muitos detalhes das relações comerciais entre EUA e China, investidores externos abrem os negócios em tom positivo diante das expectativas de avanço dessas negociações sino-americanas. Contudo, o cenário político interno mais tenso e queda dos preços das commodities (pode impactar negativamente as empresas como Petrobrás, Vale, Cosan etc) tendem a impor baixa para o Ibovespa na sessão regular.
Juros: A alta do dólar frente a maioria das moedas externas (gera pressão na inflação no curto prazo) e crise política entre PSL e o Presidente Jair Bolsonaro devem pesar e pressionar para cima os juros futuros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O fortalecimento da moeda norte-americana frente a maioria das divisas internacionais e piora no ambiente político doméstico tendem a depreciar o real frente ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.