Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 15/09/2017

Brasília, 15 de setembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais reduzem o apetite ao risco por conta do novo lançamento de míssil pela Coreia do Norte, na noite de ontem, e com isso bolsas e commodities trabalham com ajustes negativos. Ademais, um atentado de menores proporções no metrô de Londres completam o ambiente internacional de maior aversão ao risco.

Interno: a nova denúncia da PGR contra Michel Temer ontem gera desconforto e tende a agregar cautela diante dos potenciais impactos na tramitação da reforma da Previdência. Tal possibilidade tem capacidade de retardar uma escalada de valorização de ativos domésticos.

Bolsa: a queda das bolsas europeias e das commodities diante das tensões geopolíticas associada a possibilidade de atraso da agenda de reformas em função da segunda denúncia da PGR contra Temer tende a provocar correção de preços do índice acionário doméstico.
Juros: a conjuntura internacional mais avessa ao risco com impacto de alta na taxa de câmbio doméstica aliada ao retorno das preocupações políticas em âmbito interno devem impor pressão altista na parte média e longa da curva à termo de juros. Os DIs mais curtos tendem a rondar a estabilidade.
Dólar: o anúncio antecipado do Banco Central de que irá rolar 60% do volume de contratos de swap cambial que vencem em outubro serve de contrapeso na tendência de depreciação do real contra o dólar. Questões geopolíticas internacionais devem pesar e impor pressão sobre a taxa de câmbio local.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.