Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 15/08/2019

Brasília, 15 de agosto de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: A reação da China de que adotará “contramedidas necessárias” aos planos dos EUA de impor tarifa de 10% a mais US$ 300 bilhões em produtos do país asiático mantém asceso a aversão ao risco e derrubam bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque e commodities. Os mercados já começam a sinalizar risco de recessão na maior economia do mundo, enquanto a China fez injeção de 430 bilhões de yuans (US$ 61,2 bilhões) visando garantir liquidez no sistema bancário do país. Para atenuar uma pouco esse mau humor, há perspectiva de crescimento moderado da produção industrial e das vendas no varejo de julho norte-americanos.

Interno: Em meio a continuidade do cenário adverso lá fora, o Banco Central brasileiro decidiu anunciar venda de US$ 3,8 bilhões (utilizando as reservas internacionais) como forma de prover liquidez em moeda estrangeira diante da demanda dos agentes. Na agenda, a queda de 0,47% do IGP-10 de agosto, pior do que a expectativa do mercado, ainda não captura a recente depreciação cambial sobre os preços agrícolas e industriais.

Bolsa: A continuidade da escalada de tensões comerciais entre EUA e China e seus efeitos sobre a economia mundial tendem a pesar negativamente no Ibovespa no dia.
Juros:  A venda de dólar no mercado à vista pelo Bacen deve tirar um pouco da pressão sobre o real nesta abertura. Contudo, o cenário externo não demostra sinais de melhora e tende a prevalecer no restante do dia. Essa perspectiva de depreciação do câmbio doméstica (gera pressão de curto prazo na inflação) deve impor alta dos juros futuros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A conjuntura externa negativa deve preponderar sobre o anúncio de venda de US$ 3,8 bilhões no mercado à vista pelo Banco Central brasileiro. Assim, espera-se que o real ganhe valor ante ao dólar na abertura dos negócios e ceda ao longo do dia por conta do exterior negativo.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.