Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 15/07/2019

Brasília, 15 de julho de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: O menor crescimento do PIB chinês no 2T19 (6,2%) em 27 anos trouxe preocupações aos agentes financeiros neste começo de semana. Não obstante, os dados de junho de produção industrial e de vendas no varejo maiores que o esperado alívia o clima parcialmente, pois evita uma desaceleração abrupta e intensa nos próximos trimestres. Os patamares elevados das bolsas americanas limitam os ganhos dos principais índices acionários na Europa e Wall Street. Por ora, as commodities metálicas e Petróleo sobem, enquanto o dólar cede ante a maioria das divisas.

Interno: A postergação da votação do 2º turno da reforma da Previdência para agosto tende a manter os mercados domésticos em compasso de espera nos próximos dias, pois o temor com novas diluições de impacto fiscal preocupam os agentes. Por outro lado, os dados chineses positivos e com efeitos sobre a pauta exportadora brasileira estimulam os ganhos para os ativos locais nesta segunda-feira. Na agenda, a previsão de ligeira alta do IBC-Br (prévia do PIB) será o destaque.

Bolsa: Os dados econômicos chineses melhores que o esperado e perspectivas de recuperação da atividade nacional no segundo semestre devem auxiliar o Ibovespa positivamente no pregão regular.
Juros: A queda do dólar frente a boa parte das divisas externas (tira pressão da inflação no curto prazo) por conta dos dados chineses melhores que o esperado deve estimular a alta dos juros futuros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A conjuntura internacional positiva diante da melhora dos números de produção industrial e vendas no varejo chineses e perspectivas de recuperação da economia nacional no segundo semestre tendem a depreciar o dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.