Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 15/03/2018

Brasília, 15 de março de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: segue no foco dos players internacionais a política protecionista do governo norte-americano. Há rumores de que os EUA poderão impor tarifas a produtos chineses no valor de US$ 60 bilhões, além da intenção de reduzir seu déficit comercial com a China em US$ 100 bilhões. No momento, bolsas europeias operam de forma mista, enquanto futuros de bolsa de Nova York opera ligeiramente no positivo. Petróleo sobe com especulações de que a demissão de Rex Tillerson, secretário de Estado, pode favorecer o mercado de petróleo, pois pode resultar no fim do acordo nuclear com o Irã e, com isso, o retorno das sanções contra exportação de petróleo pelo país. No câmbio, o dólar ganha valor diante dessas preocupações dos investidores.

Interno: a agenda fraca direciona as atenções para a divulgação do balanço da Petrobrás, que trouxe prejuízo de R$ 448 milhões em 2017. Ademais, a cautela externa e as incertezas políticas locais completam os eventos do dia.

Bolsa: a precaução global com a política protecionista dos EUA e os riscos internos devem abater o Ibovespa com chance de queda maior na sessão regular. Além disso, o balanço da Petrobrás será minuciosamente avaliado ao longo do pregão depois da petrolífera registrar o 4º ano de perdas.
Juros: a alta do dólar ante as moedas externas e leilão do Tesoura Nacional de títulos públicos pré-fixados tendem a pressionar de forma altista a parte média e longa da curva. Os vencimentos mais curtos devem operar na estabilidade.
Dólar: a preocupação dos investidores estrangeiros com a política protecionista dos EUA e seus efeitos incertos sobre a economia global ainda pressiona as moedas internacionais e tende a prevalecer no dia a apreciação da divisa norte-americana frente ao Real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.