Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 14/07/2017

Brasília, 14 de julho de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: em dia de agenda cheia de indicadores nos EUA, investidores também avaliam o início da temporada de balanços trimestrais. No que tange os indicadores as perspectivas são positivas e quanto as previsões de política monetária norte-americana a percepção é de que as últimas declarações dos dirigentes do Fed foram consideradas suaves. Assim, bolsas europeias operam no positivo em conjunto com as commodities.

Interno: o ambiente político continua influenciando os preços dos ativos financeiros, após o desfecho da votação da denúncia contra Temer na Comissão de Constituição e Justiça – CCJ – ter sido rejeitada. Na sequência a posterior marcação da data de votação em plenário da Câmara dos Deputados para o dia 02 de agosto também ajudou a dar uma perspectiva para os agentes. Ademais, a condenação do ex-presidente Lula também provoca alterações nos patamares dos ativos.

Bolsa: os últimos quatro pregões de alta do Ibovespa ainda não deve servir de pretexto para correção de preços pelos investidores diante do ambiente externo ligeiramente melhor e do clima ameno com a situação da política doméstica. No entanto, o ímpeto de alta do índice acionário paulista deve ser mais contido no dia.
Juros: a queda do indicador de atividade econômica - IBC-Br - de maio, elaborado pelo Banco Central, deve reforçar o viés de manutenção do atual ritmo de baixa da taxa Selic de 100 pontos-base. Nesse sentido, os DIs devem operar próximos da estabilidade por já estarem ajustados a perspectiva de queda do juro básico em um ponto percentual.
Dólar: a perspectiva de moderação na retirada dos estímulos monetários nos EUA associado a um ambiente doméstico mais ameno devem propiciar a queda da divisa norte-americana frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.