Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 14/06/2018

Brasília, 14 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os investidores internacionais ainda reverberam o comunicado e as projeções dos dirigentes do Fed que trouxeram uma leitura inicial mais dura. No entanto, o presidente do Fed, Jerome Powell, sinalizou que a inflação ainda justifica o aperto monetário de pouco em pouco, pois não há indícios de disparo de pressões de preços e que até poderá ser tolerada inflação acima de 2%. Na Ásia, dados de atividade da China menores que o esperado também influenciam as praças financeiras ao redor do globo. Ademais, na Europa, as especulações de que o Banco Central Europeu (BCE) anuncie a retirada gradual de estímulo monetário a partir de setembro também movimenta os negócios. Por ora, bolsa europeias sobem marginalmente, ao passo que os futuros de bolsas de Nova Iorque trabalha na estabilidade. O dólar oscila ante as moedas externas e as commodities agrícolas caem.

Interno: a venda de seis distribuidoras da Eletrobrás vira prioridade do governo diante da expectativa de que possam ser liquidadas caso não ocorra a transferência para o setor privado. Outro ponto de atenção será a votação na próxima semana do projeto de lei sobre a cessão onerosa que dar maior flexibilidade para a Petrobrás participar de futuras explorações. A agenda de indicadores prevê apenas o volume de serviços medido pelo IBGE cuja as expectativas são de alta de 0,6% em abril, mais favorável do que o resultado de março (-0,2%).

Bolsa: a fraqueza das commodities no exterior e incertezas políticas e econômicas domésticas tendem a impor nova queda do Ibovespa no dia.
Juros: a oscilação do dólar ante as moedas internacionais e correção de preços embutidos nos prêmios dos DIs ajudam na perspectiva de queda da curva à termo de juros.
Dólar: o segundo dia de oscilação, na abertura, da divisa estadunidense frente as moedas internacionais diante das expectativas com a decisão do BCE associado aos leilões de swap cambial pelo Bacen tendem a provocar maior volatilidade na taxa de câmbio local.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.