Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 14/06/2017

Brasília, 14 de junho de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os mercados internacionais abrem os negócios ligeiramente no positivo, aguardando uma elevação dos juros nos EUA e alguma sinalização do Federal Reserve para entender o futuro da política monetária norte-americana. Na Europa, dado de produção industrial positivo reforça o bom humor dos investidores externos.

Interno: a previsão de votação do relatório da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado na próxima semana e clima externo favorável ajuda no viés mais ameno nos mercados domésticos. Ademais, a aprovação da Câmara dos Deputados ontem, do projeto de lei que permite ao governo federal resgatar os precatórios que estão parados nos bancos e não foram pleiteados por seus beneficiários em dois anos, deve contribuir para uma receita extra de R$ 8,6 bilhões, ajudando a cumprir a meta fiscal.

Bolsa: conjuntura externa favorável e ambiente político ameno, no dia, tende a favorecer a Bovespa positivamente. Além disso, informações de que a reforma trabalhista deve ser encaminhada e aprovação de medida que permitir o governo diminuir o déficit fiscal reforçam a tendência de alta para as ações.
Juros: a baixa da divisa norte-americana lá fora por conta das estimativas de inflação menores nos EUA e perspectiva de encaminhamento da reforma trabalhista contribuem para que os DIs de vencimentos de médio e longo prazo caiam na sessão regular de hoje. No entanto, leilão de LTN e LFT pelo Tesouro Nacional pode limitar o movimento. Já para os vértices mais curtos a expectativa é de estabilidade das taxas por já estar precificado pelos agentes as estimativas de Selic até o fim do ano.
Dólar: a queda do dólar ante as demais divisas internacionais e o quadro interno mais ameno ajuda na perspectiva de valorização do real ante a moeda Yankee. Ajuda também as estimativas de dados de inflação nos EUA mais baixas ocasionando menor pressão para que o Fed eleve os juros de forma mais intensa.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.