Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 14/05/2018

Brasília, 14 de maio de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: bolsas internacionais operam com sinais mistos em meio a perspectiva de avanço nas relações comerciais entre EUA e China e dúvidas políticas na Itália na esteira do acordo de coalização para forma um governo. Assim, as praças europeias operam com pequenas baixas, enquanto os índices futuros de Wall Street trabalham em ligeira alta. Petróleo sobe ligeiramente por conta da informação da Opep de que a relação oferta/demanda está mais apertada, ao passo que as commodities metálicas e agrícolas caem. No câmbio, o dólar ganha valor ante algumas moedas emergentes e cede ante as demais divisas externas.

Interno: os investidores deve repercutir a pesquisa CNT/MDA, com as preferências dos eleitores em cenários de primeiro e segundo turnos de votação para presidente. Ademais, o Bacen ajustou o leilão de swap cambial e deve ofertar o equivalente a US$ 250 milhões, com vencimento em 2 de julho.

Bolsa: ambiente externo ligeiramente melhor e expectativas com o acordo da Petrobrás com o governo federal em relação a cessão onerosa devem ajudar o Ibovespa a recupera valor no dia.
Juros: a dois dias da reunião do Copom e divulgação da pesquisa de intenção de votos da CNT/MDA deve pesar e impor pressão de alta na curva à termo de juros. Além disso, os efeitos da recente alta do dólar frente ao real corroboram a perspectiva para os DIs.
Dólar: A oferta adicional de swap cambial pelo Banco Central e o movimento externo de queda da divisa norte-americana frente as demais moedas tendem a tirar pressão da taxa de câmbio doméstica e fazer o real apreciar marginalmente na sessão regular.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.