Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 14/03/2017

Brasília, 14 de março de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: dados mistos de atividade da economia chinesa e cautela com o ritmo de elevação da taxa de juros dos EUA norteiam os negócios nesta abertura dos pregões. Ademais, números de produção industrial abaixo do esperado na Zona do Euro e alta do dólar frente as demais divisas mantém os mercados em tom de precaução.

Interno: o calendário de indicadores doméstico está esvaziado para o dia, mas os investidores devem direcionar as atenções para o cenário político (recentes delações da Odebrecht no âmbito da operação Lava Jato) e os efeitos para a condução das reformas das contas públicas. Além disso, o Banco Central deixa o mercado ansioso quanto a algum sinal sobre rolagem de swaps cambiais em meio a espera da decisão de política monetária nos EUA.

Bolsa: Elevação dos preços de petróleo e metais associados a melhora da produção industrial e os investimentos em ativos fixos na China devem contribuir para manutenção de alta do Ibovespa para o dia.
Juros: A continuidade dos ruídos políticos e as incertezas com a agenda de reformas (previdência, trabalhista etc) e o ambiente externo cauteloso com a perspectiva da decisão do Fed sobre os juros nos EUA devem ainda levar a curva a termo de juros para o território negativo. Vale ressaltar, após fortes quedas recentes dos DIs podem ocorrer acomodação.
Dólar: A precaução dos investidores internacionais quanto a decisão de amanhã do Fed mantém o dólar valorizado ante a maioria das moedas externas e deve pressionar a taxa de câmbio local. Diante da percepção dos agentes domésticos de que o Banco Central Brasileiro esteja aguardando a reunião do FOMC para decidir sobre a rolagem de swaps cambiais também deve reforçar o viés de alta da divisa norte-americana ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.