Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 13/03/2019

Brasília, 13 de março de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Depois de começar a semana positivamente, investidores internacionais trabalham na cautela diante das incertezas geradas pela decisão do Parlamento britânico de mais uma vez rejeitar os termos de um acordo para que o Reino Unido se retire da União Europeia. Operadores acreditam que o câmara baixa inglesa deve rejeitar um Brexit sem acordo. Outra preocupação está relacionada a previsão de divulgação de dados, no fim do dia, de produção industrial e vendas no varejo da China que podem ratificar a desaceleração da economia mundial. Na agenda, preços no atacado e pedidos de bens capital dos EUA podem fornecer mais pistas sobre o ritmo da política monetária norte-americana. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsas de Nova Iorque trabalham próximos da estabilidade, enquanto o dólar ganha ante a maioria das divisas externas. As commodities metálicas operam em alta, por outro lado as matérias-primas agrícolas caem.

Interno: A instalação da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados previsto para às 19h00 com objetivo de manifestar-se sobre a constitucionalidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 6/19) da reforma da Previdência, no prazo mínimo de cinco sessões do plenário e previsão de queda da produção industrial de janeiro serão os destaques do calendário de acompanhamento dos investidores domésticos.

Bolsa: o cenário externo cauteloso será contrabalançado pelo início oficial da tramitação da reforma da Previdência, bem como pela decisão da Petrobrás de captar US$ 3,0 bilhões em bônus no mercado internacional para recomprar dívida cara e de curto prazo visando alongar o perfil de sua dívida. Assim, o Ibovespa deve subir no dia.
Juros: a oscilação do dólar ante as moedas externas (sem pressão no câmbio nacional na inflação no curto prazo) e instalação da CCJ para debater a reforma da Previdência tendem a direcionar para baixo os juros futuros (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: a volatilidade do dólar em relação as divisas internacionais tende a ser ofuscado pelas expectativas do andamento da reforma da Previdência com a instalação da CCJ previsto para hoje. Ademais, a captação de US$ 3,0 bilhões pela Petobrás também deve ajudar a taxa de câmbio doméstica se apreciar frente ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.