Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 12/12/2017

Brasília, 12 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: investidores internacionais operam com sinais mistos com o foco sendo direcionado para a reunião do Fed, que será finalizada amanhã. As expectativas giram em torno do comunicado e nas projeções dos dirigentes que possam indicar sobre o ritmo do ajuste monetário em 2018. Enquanto isso, petróleo opera em alta por conta da notícia de que o oleoduto de Forties, que transporta grande parte da produção do Reino Unido, ficará paralisado por semanas devido rachaduras na estrutura. Bolsas europeias e câmbio trabalham com volatilidade sem direção definida.

Interno: as atenções seguem voltadas para as discussões sobre a reforma da Previdência, em meio ao ceticismo do mercado quanto ao avanço da proposta na Câmara ainda neste ano. Na agenda financeira, a Nota do Copom da semana passada poderá fornecer maiores detalhes do cenário da política monetária em 2018.

Bolsa: o ambiente externo volátil e dura resistência dos parlamentares brasileiros em apoiar a reforma da Previdência deve impor queda do Ibovespa.
Juros: dificuldades, do governo, para obter apoio necessário para aprovar a reforma da Previdência e expectativas de que a Nota do Copom mencione a alteração nas regras previdênciarias para continuar implementando um afrouxamento monetário tendem a colocar os DIs em volatilidade.
Dólar: sem direção definida no exterior, o dólar deve operar volátil acompanhando noticiário local. Declarações de integrantes do governo e de parlamentares sobre as perspectivas de votação da reforma da Previdência deixam a taxa de câmbio oscilando no pregão regular.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.