Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 12/09/2019

Brasília, 12 de setembro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Em mensagem no Twitter, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que irá adiar um aumento de tarifas sobre US$ 250 bilhões em produtos da China, de 1º para 15 de outubro, “como um gesto de boa vontade” na disputa comercial entre os dois países. Enquanto isso, na Europa, as expectativas dos agentes são de novos estímulos sejam adotados pelo Banco Central Europeu (BCE) que tem decisão de política monetária previsto para hoje. Esses eventos provocam oscilação nas bolsas europeias e impulsionam alta dos futuros de bolsas de Nova Iorque. Petróleo cai e commodities agrícolas e metálicas sobem. O dólar cede ante as moedas emergentes.

Interno: A demissão do secretário da Receita, Marcos Cintra, reduziu ainda mais a chance de um tributo semelhante à CPMF fazer parte da reforma tributária em discussão no Congresso. No entanto, ainda não foi discutido uma alternativa para compensar a ideia de desonerar a folha de pagamentos. Outro destaque na política foi a aprovação do marco legal das telecomunicações que tende a desencadear diferentes ondas de investimentos no setor. Na agenda, a perspectiva de alta modesta de 0,15% do setor de serviços em julho será o destaque.

Bolsa: O bom desempenho no ambiente internacional e saída de cena, por ora, de um tributo sobre transações financeiras devem impulsionar o Ibovespa na trajetória de alta no dia.
Juros: A queda dólar frente as moedas emergentes (tira pressão da inflação no curto prazo) por conta da melhora externa tende a direcionar para baixo a curva de juros. (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A conjuntura externa positiva e projeção de avanço modesto do setor de serviços em julho no país tende a impor queda do dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.