Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 12/07/2018

Brasília, 12 de julho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais esboçam uma melhora nesta abertura, depois da forte aversão ao risco causada ontem pela escalada protecionista pelos EUA. Nesse assunto prevalece a leitura de que os países podem retomar as negociações. O bom humor de hoje está relacionado a confirmação do compromisso com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) pelo presidente dos EUA, Donald Trump, afastando rumores de que poderia retirar-se da aliança. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsa de Wall Street e commodities operam em alta, enquanto o dólar cede ante a maioria das divisas externas.

Interno: a conclusão da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019 pelo Congresso e outros projetos aprovados nos útlimos dias que podem aumentar os gastos públicos em R$ 100 bilhões, nos próximos anos, traz preocupações aos agentes. Essa perspectiva fiscal para o país gera cautela entre os investidores nacionais. O calendário econômico destaca as vendas no varejo de maio cujas expectativas são de queda de 0,7%, frente a alta de 1,3% em abril.

Bolsa: o bom humor dos investidores externos tende a prevalecer sobre as questões internas e deve ajudar o Ibovespa a recuperar depois de dois dias de queda.
Juros: a perda de valor da divisa estadunidense em nível global deve pesar e contribuir para que a curva de juros ceda no dia, apesar das preocupações com as contas públicas brasileiras.
Dólar: a queda global da moeda norte-americana, influenciada pelo compromisso do presidente dos EUA, Donald Trump, de permanecer na Otan tendem a apreciar o real frente ao dólar na sessão regular. Vale notar que as preocupações fiscais no âmbito local devem limitar o movimento de valorização da taxa de câmbio doméstica.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.