Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 12/07/2017

Brasília, 12 de julho de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados amanhecem de olho nos comentários de dirigentes do Fed que podem indicar as formas de continuar retirando os estímulos monetários (via elevação dos juros ou venda de ativos financeiros imobiliários em seu balanço) implementados desde 2008. Enquanto isso, bolsas europeias e futuros de bolsa de NY além do petróleo operam com ganhos, mostrando assim maior propensão ao risco dos players.

Interno: a aprovação da reforma trabalhista no plenário do Senado ontem com votação expressiva à favor (50 votos ficaram acima das expectativas) serve de argumento para que os preços dos ativos financeiros locais recuperem preço. Na agenda de indicadores, a previsão de alta moderada das vendas no varejo de maio também corrobora o viés positivo. Não menos importante, segue no radar o debate na Comissão de Constituição e Justiça -CCJ – sobre a denúncia da PGR contra Temer.

Bolsa: conjuntura externa mais propensa ao risco e, principalmente, a aprovação da reforma trabalhista com votação expressiva a favor tendem a atrair as compras pelos investidores locais e estrangeiros. A Denúncia contra Temer a ser debatido na CCJ pode limitar o movimento previsto para o dia.
Juros: a votação (50 votos) e aprovação da reforma trabalhista no plenário do Senado deve contribuir com a visão de que a taxa Selic possa ser reduzida de forma mais significativa no médio prazo. Ademais, o quadro inflacionário positivo e perspectiva de alta moderada das vendas no varejo reforçam a perspectiva de queda dos DIs na sessão regular.
Dólar: cenário externo melhor diante da percepção de que o dólar tende a não se apreciar de forma intensa no curto prazo e aprovação da reforma trabalhista no plenário do Senado com boa maioria tendem a derrubar o dólar contra o real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.