Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 12/06/2019

Brasília, 12 de junho de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: As preocupações renovadas com o embate comercial entre EUA e China voltam a abater os mercados financeiros internacionais. Declarações de ambas as partes sugerem que o clima ainda não é favorável neste momento para que se alcance um acordo. O presidente Donald Trump voltou a subir o tom contra a China, citando que um acordo somente ocorrerá se Pequim aceitar os termos negociados anteriormente. Do outro lado, a China prometeu “dura resposta” em caso de insistência dos EUA com novas barreiras. No momento, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque, commodities metálicas e Petróleo caem. O dólar oscila frente as divisas externas.

Interno: A aprovação do crédito suplementar no Congresso ajuda a manter o viés positivo em relação ao ambiente político. O ânimo só não é maior por conta das incertezas ligadas à reforma da Previdência. Na agenda, a previsão de queda das vendas no varejo de abril será o destaque.

Bolsa: Após quase uma semana de bom humor externo, os mercados utilizam as notícias envolvendo o embante comercial entre EUA e China para realizar lucros (venda de ativos para embosar ganhos). O Ibovespa também deve aproveitar a dinâmica externa para vender. Assim, a bolsa paulista deve cair.
Juros: A alta do dólar ante as moedas externas (gera pressão na inflação no curto prazo) deve ser contrapor a melhora do ambiente político e a perspectiva de queda nas vendas no varejo. Desse modo, os juros futuros devem manter o viés de baixa (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A piora do cenário externo tende a ser minimizado pelos investidores domésticos diante do ambiente político melhor. Por outro lado, fatores técnicos (perdas recentes do dólar motivam correção de preços) devem pesar. Assim, o dólar tende a trabalhar perto da estabilidade frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.