Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 12/04/2017

Brasília, 12 de abril de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo:em novo momento mercados internacionais deixam de lado o gradualismo do Fed e o plano fiscal de Trump para acompanhar os riscos geopolítticos (guerra na Síria e pressão externa para conter o plano bélico da Coreia do Norte). A agenda econômica esvaziada reforça o monitoramento da visita do Secretário de Estado norte-americano à Rússia visando persuadir Moscou do apoio ao presidente sírio, Baschar al-Assad.

Interno: cenário político rouba a cena novamente com a lista do “Fachin” autorizando investigações de 9 ministros, deputados, senadores e governadores por conta das delações premiadas de ex-executivos da construtora Odebrecht. As implicações do aumento da turbulência política para a condução das reformas propostas pelo governo devem prejudicar os preços dos ativos financeiros locais.

Bolsa: fatores domésticos devem preponderar no dia diante do vazamento das delações premiadas da construtora Odebrecht (caso Lava Jato) envolvendo políticos do núcleo do governo federal e parlamentares. Nesse sentido, o Ibovespa tende a manter a reação negativa observada no final do pregão regular de ontem.
Juros: em dia de decisão do Comitê de Política Monetária - Copom - em que as expectativas são de corte de 1pp da Selic, investidores domésticos tendem a reagir negativamente. O imbróglio político envolvendo o vazamento da lista do "Fachin" que implica os mais variados políticos (do 1º escalão do executivo federal e do legislativo) com os crimes de "caixa 2" e propinas devem impor pressão de alta na curva de DIs de vencimentos de médio e longo prazo. Para os DIs de curto prazo a expectativa passa ser de baixa no dia.
Dolar: investidores nacionais direcionam as atenções para o ambiente político, após o vazamento da lista do "Fachin" dando conta do envolvimento de vários políticos de primeiro escalão do executivo e legisltativo federal com crimes de "caixa 2" e propinas. Nesse sentido, o dólar deve apreciar frente ao real no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.