Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 11/12/2017

Brasília, 11 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a agenda esvaziada direciona as atenções para a próxima decisão do Fed na próxima quarta-feira. Investidores querem ver sinais do comunicado sobre os próximos passos na condução da política monetária norte-americana. O avanço moderado dos salários nos EUA, de acordo com os dados de sexta-feira, ajudou a diminuir as expectativas de intensificação do ciclo de alta dos juros. Por ora, bolsa europeias sobem e petróleo cai. No câmbio, o dólar opera de forma volátil ante as moedas internacionais.

Interno: o noticiário político continua no foco diante das perspectivas de votação ainda neste ano. O fechamento de questão do PPS e o apoio explícito de Geraldo Alckmin a reforma da Previdência, após ser confirmado como presidente do PSDB ampliam as chances da proposta. Na agenda parlamentar, a partir desta quinta-feira está definida a discussão na Câmara da reforma. Vale lembrar que o fato de Michel Temer admitir que o tema poderá ficar para o início do ano que vem reforça as dificuldades.

Bolsa: o ambiente externo positivo e melhores perspectivas para a reforma da Previdência tendem a impulsionar o Ibovespa no dia.
Juros: o IPCA mais fraco de novembro ainda reverbera nas projeções dos analistas e reforça o viés de manutenção do ciclo de queda por pelo menos mais uma reunião do Copom. Nesse sentido, e avaliando as articulações do governo para fazer avançar a reforma da Previdência devem contribuir para uma queda marginal na curva à termo de juros.
Dólar: a marcação do início da discussão da reforma da Previdência para a próxima quinta-feira, dia 14, na Câmara, pode animar os investidores locais e apreciar o Real contra o dólar. As expectativas de ingressos de fluxo cambial via captações corporativas no exterior e Ofertas Iniciais de Ações (IPOs) - BR Distribuidora, Burguer King Brasil e Neoenergia - ajudam na perspectiva do dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.