Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 11/10/2017

Brasília, 11 de outubro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo:investidores aguardam a divulgação da ata do FOMC (Comitê de Mercado Aberto do Fed) e operam de forma contida nas principais praças financeiras globais. A perspectiva é de que o texto reforçe a leitura de nova elevação dos juros norte-americano em dezembro e com manutenção do ajuste gradual e lento. Nesse sentido, bolsas europeias e commodities operam ao redor da estabilidade, enquanto o dólar deprecia marginalmente ante as demais divisas externas.

Interno: a seara política segue como fonte de preocupação diante do desconforto gerado entre Rodrigo Maia e o Planalto por conta da falta de quórum para votar a MP da Leniência. A prioridade de Michel Temer em se defender na Comissão de Constituição e Justiça relacionado a segunda denúncia criminal provocou desmobilização da base de apoio para votar medidas importantes que seguem na pauta do Congresso. Na agenda de indicadores, as vendas no varejo devem apresentar crescimento em agosto frente ao mês anterior.

Bolsa: Os patamares elevados do Ibovespa devem servir de motivo principal para que os investidores trabalhem de forma lateralizada. As incertezas políticas e praças financeiras globais operando na estabilidade tende a influenciar o índice acionário local.
Juros: A menos que o dado de vendas no varejo surpreenda, os DIs devem operar na estabilidade após a queda de ontem e as incertezas políticas que ainda prevalecem no curto prazo. Ademais, a fraqueza do dólar ante a maioria das moedas internacionais também corrobora a perspectiva.
Dólar: Expectativa de que a ata do Fed apresente um tom menos duro na condução da política monetária deve prevalecer e impor queda do dólar ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.