Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 11/09/2018

Brasília, 11 de setembro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais seguem operando em tom defensivo, em meio as preocupações com avanços nos conflitos comerciais entre EUA e China. Nem mesmo indicadores de atividade melhores na Europa está conseguindo aliviar o ambiente dos negócios. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsa de Wall Street e commodities metálicas e agrícolas trabalham em baixa, enquanto o dólar ganha valor ante as moedas externas.

Interno: a pesquisa Datafolha divulgada ontem trouxe melhora nas intenções de voto de candidaturas de esquerda (Ciro e Haddad) e pouco avanço de Bolsonaro e Alckmin. Esta foi a primeira pesquisa depois do atentado sofrido pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro. Os números do Datafolha também revelaram que houve aumento da rejeição de Bolsonaro (43%, de 39% na pesquisa anterior) e diminuição nesse quesito para Alckmin e Ciro Gomes. Desse modo, investidores locais tendem a reafirmarem o viés negativo por conta dessas indefinições no âmbito eleitoral.

Bolsa: o mau humor dos investidores estrangeiros por conta das incertezas protecionistas e corrida eleitoral doméstica indefinida tendem a prejudicar o Ibovespa. Assim, espera-se queda da praça acionária paulista.
Juros: o fortalecimento do dólar lá fora e seus efeitos indiretos sobre a inflação doméstica associado as indefinições na corrida eleitoral brasileira devem impor nova rodada de alta dos juros futuros para todos os prazos (pressiona os custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: a cautela dos investidores externos com o comércio global e as perspectivas de que a economia americana siga aquecida e pressione a elevação dos juros na maior economia do mundo (cuja tendência é de atração do fluxo de capitais externos para os EUA) são fatores que devem favorecer o dólar frente as demais moedas. Ademais, as dúvidas quanto a corrida eleitoral brasileira reforça o viés de alta do dólar ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.