Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 11/04/2018

Brasília, 11 de abril de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: investidores internacionais mantêm a cautela nesta abertura diante das expectativas com os dados de inflação dos EUA, com a ata do Fomc (Comitê de Mercado Aberto do Fed) e pelas preocupações geopolíticas referente a guerra na Síria. No momento, bolsas europeias e futuros de bolsa de Wall Street operam em queda, enquanto o dólar sobe ante as moedas emergentes. Já as commodities sobem por conta da possibilidade de uma ação militar dos países ocidentais na guerra da Síria.

Interno: o imbróglio político segue como fonte de preocupação dos agentes domésticos devido ao adiamento da discussão da ação que pode mudar novamente a decisão sobre a prisão em 2º instância, prolongando as dúvidas sobre o tema e, por consequência sobre a condição do ex-presidente Lula. Ademais, a forte desaceleração da primeira prévia do IGP-M de abril para 0,18% (esperado pelo mercado 0,49%) reforça a lenta recuperação da atividade econômica nacional.

Bolsa: O ambiente externo cauteloso e incertezas políticas doméstica tendem a deixar o Ibovespa com viés de baixa no dia. Vale lembrar que a alta das commodities pode beneficiar papéis da Petrobrás e Vale.
Juros: Cenário político-eleitoral segue no foco por conta dos efeitos negativos sobre a recuperação da economia doméstica. Além disso, a forte desaceleração da primeira prévia do IGP-M de abril devem manter o recuo dos prêmios embutidos nos DIs. A alta do dólar frente as divisas externa atua como limitador dos movimentos na estrutura à termo de juros.
Dólar: A conjuntura internacional de preocaução dos players, influenciados pelas expectativas dos agentes com a inflação dos EUA, e as tensões geopolíticas ajudam a manter o dólar valorizado frente as moedas ligadas as commodities. Ademais, as indefinições políticas em âmbito interno reforça o viés de alta da moeda norte-americana ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.