Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 11/01/2018

Brasília, 11 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os níveis recordes das bolsas dos EUA segura o ímpeto dos investidores impondo estabilidade nas praças europeias e nos futuros de bolsa de Nova York. Traz certo alívio o fato de autoridades chinesas terem negado que planejam reduzir ou interromper suas compras de Treasuries favorecendo assim a valorização do dólar ante as moedas internacionais. Ademais, previsões otimistas para a economia chinesa (PIB de 6,9% em 2017, de 6,7%) ajuda nos preços de petróleo e commodities metálicas. Segue no radar também as preocupações de que os EUA se retirem do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta).

Interno: a ausência de fatos novos no âmbito político mantêm investidores de olho nas incertezas da reforma da Previdência e da proximidade do julgamento do ex-presidente Lula. Na agenda de indicadores, a alta de 0,75% da primeira prévia do IGP-M deste ano, acima das expectativas, deve estimular novos debates em torno da condução da política monetária.

Bolsa: a falta de ímpeto das bolsas externas e falta de novidades no front político local tende a direcionar as atenções dos players para a alta da primeira prévia do IGP-M cujo resultado acima das previsões pode pressionar o Ibovespa. Nesse sentido, espera-se que a bolsa paulista opere com volatilidade.
Juros: o avanço acima do esperado da primeira prévia do IGP-M conjugado com a ausência de fatos novos no âmbito da política fiscal devem manter sob pressão a curva de juros. Assim, espera-se que do DIs operem em alta no pregão regular.
Dólar: apesar da valorização do dólar frente a maioria das divisas internacionais, o noticiário sem destaques no âmbito da política domésitca e a perspectiva de ingresso de capital externo no mercado financeiro brasileiro tende a manter a taxa de câmbio rondando a estabilidade no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.