Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 10/12/2018

Brasília, 10 de dezembro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: dados da balança comercial chinesa de novembro revelando desaceleração acentuada das exportações (5,4%, de 15,6%) e importações (3,0%, de 14,4%) refletindo, em parte, a guerra comercial dos EUA contra a nação asiática dão o tom negativo para os mercados financeiros internacionais. Ademais, a China emitiu um ultimato ao Canadá, exigindo a libertação imediata da diretora financeira da Huawei Technologies e convocou o embaixador do Canadá em Pequim para fazer a advertência. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Wall Street e commodities operam em baixa, enquanto o dólar oscila frente as moedas externas.

Interno: as denúncias relacionadas às movimentações financeiras de ex-assessor de Flávio Bolsonaro geram mal estar na percepção do novo governo. Nesse sentido, investidores locais deve adotar uma postura mais cautelosa, tendo em vista as dúvidas sobre a governabilidade e a capacidade de entrega da reforma da previdência.

 

Bolsa: o cenário externo ruim e as incertezas políticas quanto ao futuro governo devem impor viés de queda da bolsa paulista.
Juros: a falta de definição sobre o timing e abrangência da reforma da previdência e informações sobre movimentações financeiras atípicas apontadas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que envolvem a família Bolsonaro deve colocar os juros futuros em trajetória de alta (aumento, no dia, nos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: a conjuntura externa mais volátil e avessa ao risco associado as incertezas sobre a reforma da previdência no futuro governo devem manter a trajetória de alta do dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.