Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 10/05/2017

Brasília, 10 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: em dia de agenda fraca no exterior, os investidores exibem cautela por conta da decisão do presidente norte-americano Donald Trump de demitir o diretor do FBI. Ademais, a correção das bolsas é estimulada pelos patamares elevados dos mercados acionários, enquanto as commodities sobem. Dólar cede ante as demais divisas internacionais.

Interno: segue as preocupações dos agentes com o início da tramitação da reforma da Previdência no Plenário da Câmara e, especificamente hoje, com o depoimento de Lula ao juiz federal, Sérgio Moro. Na agenda, a perspectiva de que o IPCA apresente variação de 0,15% referente ao mês de abril mantém a leitura benigna do quadro de inflação brasileira.

Bolsa: a alta das commodities no exterior e a queda do dólar ante as moedas externas ajudam no viés positivo para o Ibovespa no pregão de hoje. Além disso, expectativa de continuidade do arrefecimento da inflação favorece a visão de manutenção da queda dos juros o que impulsiona o desempenho dos papéis negociados no índice acionário doméstico.
Juros: andamento das reformas previdenciária e trabalhista, dólar mais fraco ante ao real e perspectiva de IPCA em desaceleração tendem a impactar de forma baixista a estrutura à termo de juros.
Dólar: dólar mais fraco ante as divisas externas, conclusão da votação da reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara ontem à noite em linha com as expectativas do governo e estimativas de que o IPCA registre inflação em desaceleração devem apreciar o real contra a moeda Yankee.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.