Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 10/04/2018

Brasília, 10 de abril de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados retomam o otimismo nesta manhã, após o discurso conciliatório feito pelo presidente chinês, Xi Jinping sobre a abertura comercial por parte do país asiático. Tal falta auxilia a reduzir as preocupações contrária às investidas protecionistas do governo norte-americano. Nesse sentido, bolsa europeias e futuros de bolsa de Wall Street operam em alta, enquanto o dólar perde valor ante a maioria das divisas externas. Petróleo e commodities metálicas também trabalham no azul.

Interno: incertezas político-eleitorais devem diminuir o impacto da melhora externa sobre os preços dos ativos financeiros locais. A possibilidade de discussão do tema da prisão em segunda instância amanhã no STF e abertura de ação penal contra o empresário José Yunes e o coronel João Batista Lima Filho, ambos amigos do presidente Michel Temer, estão no foco dos investidores locais. Pesam também as incertezas quanto a um candidato à presidência que adote o discurso reformista e que seja competitivo. Na agenda de indicadores, as previsões de que o IPCA de março registre alta de 0,12%, ante a alta de 0,32% em fevereiro, completam os eventos do dia..

Bolsa: O ambiente externo positivo, a melhora da previsão da nota de rating do país, pela agência Moody´s, são fatores que devem ajudar o Ibovespa a buscar alguma recuperação nesta abertura dos negócios. No entanto, as incertezas político-eleitorais segue no radar e tende a limitar o movimento da bolsa paulista.
Juros: Cenário político-eleitoral bem nebuloso e seus efeitos negativos sobre a recuperação da economia doméstica devem impor recuo dos prêmios embutidos nos DIs. Ademais, a perspectiva de desaceleração do IPCA de março reforça o viés de baixa da curva à termo de juros.
Dólar: A conjuntura internacional apresentando maior propensão ao risco pelos investidores ajuda a tirar um pouco da pressão na taxa de câmbio local. Por outro lado, o risco crescente do cenário político-eleitoral atua como vetor negativo sobre a paridade real/dólar. Nesse sentido, espera-se que o dólar opere com volatilidade ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.