Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 10/04/2017

Brasília, 10 de abril de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo:persiste a cautela nos mercados internacionais, em meio as incertezas geopolíticas (ações dos EUA na Síria e na Ásia) e a menor geração de empregos norte-americanos. Com a agenda esvaziada o foco serão as declarações de Janet Yellen, presidente do Fed, e na divulgação das projeções econômicas do Fundo Monetário Internacional – FMI.

Interno: as atenções seguem em torno da Reforma da Previdência com investidores no aguardo do texto final do relator, Arthur Maia, na Comissão Especial. No calendário, a forte queda de 0,74% da primeira prévia do IGP-M de abril chama a atenção nesta abertura dos mercados.

Bolsa: ambiente externo avesso ao risco (queda das bolsas europeias e das commodities metálicas) neste começo de manhã e indefinições quanto a Reforma da Previdência tendem a pesar negativamente na Bovespa.
Juros: em semana de Copom, investidores nacionais seguem atentos ao quadro recente de fraqueza econômica no qual a primeira prévia do IGP-M de abril registrou deflação de 0,74%. Além disso, o boletim Focus mostrou que após 36 semanas apontando estabilidade em 4,50% para o IPCA de 2018 foi reduzido as estimativas para 4,46% para o mesmo período. Assim, a curva de juros deve ceder no dia.
Dolar: conjuntura internacional de cautela diante dos riscos geopolíticos de curto prazo está pressionando a paridade real/dólar neste começo de semana. No entanto, a alta acumulada de 1,64% de ganhos para o dólar nas últimas três sessões tendem a tirar força da divisa norte-ameircana ante ao real nesta segunda-feira.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.