Boletim de Fechamento

Abertura de Mercado – 10/03/2017

Brasília, 10 de março de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: expectativa de geração de 200 mil postos de trabalho nos Estados Unidos, bem como queda da taxa de desemprego (payroll) alimentam a propensão ao risco dos investidores internacionais. Dólar, juros dos treasuries e petróleo ensaiam acomodação antes do payroll após as pressões dos últimos dias. Os agentes buscam avaliar se o ciclo de aperto monetário pelo Fed (Banco Central dos EUA) será mais agressivo que o estimado, mas por ora, o dólar deve ceder ante as demais divisas externas.

Interno: dados do IPCA de fevereiro é destaque da agenda doméstica. As projeções dos analistas variam de 0,36% a 0,53% com mediana 0,43% o que representa uma taxa maior que o registrado em janeiro (0,38%) por conta da pressão sazonal de educação. Neste momento, os agentes locais tendem a ensaiar uma recuperação na abertura e de olho nos indicadores norte-americanos.

 

Dólar: O comportamento global dos ativos de risco e previsão de que os números do payroll venham em linha com as projeções do mercado devem motivar também correção da recente alta do dólar ante ao real. Nesse sentido, os players devem derrubar a cotação do dólar frente a moeda doméstica.
Juros: A percepção política ainda deve ficar no radar dos players locais diante da potencial influência no andamento das reformas fiscais. Ademais, a perspectiva de que o IPCA de fevereiro registre no acumulado de 12 meses número em desaceleração (mediana das expectativas em 4,86%, ante a 5,35% de janeiro) tendem a pressionar a curva de juros para baixo.
Bolsa: Após quatro sessões de queda em virtude de correção de preços, o Ibovespa deve apresentar recuperação diante da alta dos preços das commodities metálicas e do petróleo neste começo de dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.