Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 08/11/2017

Brasília, 08 de novembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: balança comercial da China melhor que o esperado e especulações de dificuldades do governo Trump em passar a reforma tributária deixam os mercados operando com viés negativo. Bolsas europeias e commodities caem o dólar ganha ante ao euro e a libra esterlina. As tensões no oriente médio entre a Arábia Saudita e o Irã também afetam os mercados.

Interno: depois de um dia marcado por fortes perdas nos ativos locais, a quarta-feira começa com uma reação. A expectativa de que o governo tente colocar em pauta a reforma da Previdência, mesmo que enxuta, tende a conter o pessimismo de ontem.

Bolsa: apesar da conjuntura externa mais negativa, o Ibovespa deve buscar uma correção de preços amparado no compromentimento do governo com a reforma da Previdência. No entanto, a recuperação da bolsa paulista tende a ser mais tímida.
Juros: o compromentimento da equipe econômica do governo com a reforma da Previdência diante da mobilização do governo para tentar aprovar a PEC deve ajudar os investidores na percepção de menor risco fiscal no médio prazo e impor uma retirada de prêmios na estrutura à termo de juros.
Dólar: em que pese o cenário externo mostrando viés negativo, a melhora da balança comercial chinesa estimula as moedas-commodities em detrimento da divisa norte-americana. Ademais, o receio com possível atraso no plano de corte de impostos do governo de Donald Trump em tramitação no Congresso dos EUA pesam contra a moeda Yankee.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.