Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 08/08/2019

Brasília, 8 de agosto de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: O tom positivo nas praças financeiras refletem números melhores das exportações chinesas e com o estabelecimento de uma taxa de câmbio de referência em 7,0039 yuans/USD. Este último item reforça a visão do mercado de que a China não deverá puxar uma desvalorização significativa de sua moeda. No momento, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque e commodities sobem, enquanto o dólar cede ante a maioria das divisas emergentes.

Interno: A aprovação da reforma da Previdência em 2º turno na Câmara dos Deputados, sem alterações no texto, as perspectivas de dados de inflação benignos e ambiente externo positivo tendem a promover um ambiente favorável para os ativos domésticos. Na agenda, as previsões de alta de 0,25% (3,28% YoY) do IPCA de julho dão suporte para uma inflação correndo ainda abaixo da meta (4,25%) no acumulado de 12 meses. Leilão de títulos públicos federais pré-fixados também movimentam os negócios, principalmente, na curva de juros.

Bolsa: O cenáro externo positivo e aprovação da reforma da Previdência em 2º turno na Câmara dos Deputados devem impulsionar o Ibovespa no dia.
Juros: A taxa de câmbio doméstica mais apreciada (tira pressão de curto prazo da inflação), por conta do ambiente internacional positivo, a aprovação da reforma da Previdência e estimativas de IPCA comportado tendem a colocar em baixa os juros futuros (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A conjuntura externa trabalhando no azul diante dos dados chineses melhores e aprovação da reforma da Previdência pela Câmara dos Deputados devem sustentar a valorização do real frente ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.