Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 08/02/2019

Brasília, 08 de fevereiro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: as preocupações dos investidores de que China e EUA alcance um acordo comercial no curto prazo reflete negativamente nos preços dos ativos financeiros. As dúvidas foram realimentadas depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmar ontem que não se encontrará com o colega chinês, Xi Jinping, até o prazo final de 1º de março. Isso acontecendo provocará a entrada em vigor de tarifas sobre mais de US$ 200 bilhões em produtos chineses, se não houver acordo. Ademais, o risco de nova paralisação parcial do governo norte-americano a partir da próxima semana também preocupa os players. No momento, bolsas europeias buscam uma recuperação depois das perdas de ontem, enquanto os futuros de bolsas de Nova Iorque e petróleo caem. O dólar ganha valor frente a maioria das moedas externas.

Interno: operadores locais monitoram o estado de saúde delicado do presidente, Jair Bolsonaro, pois enxergam que o tempo de internação do líder do país irá definir o prazo para envio da proposta da reforma da Previdência ao Congresso Nacional. Na agenda, a previsão de alta de 0,37% no IPCA de janeiro, acima do registrado em dezembro (0,15%), será o destaque.

Bolsa: as transações negativas nas praças acionárias dos EUA e dúvidas em relação a data de envio da proposta do governo da reforma da Previdência tendem a impor viés de baixa para o Ibovespa.
Juros: o tom conservador do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central brasileiro) interpretado pelo mercado nesta semana, dúvidas no andamento da reforma da Previdência e a piora da conjuntura internacional devem impactar para cima os juros futuros (alta, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: o cenário externo ruim e incertezas quanto ao andamento da reforma da Previdência devem impor alta da divisa norte-americana frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.