Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 08/02/2018

Brasília, 08 de fevereiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: nem mesmo o crescimento bem acima do esperado das importações chinesas (36,9% A/A, estimado 10,6% A/A) está ajudando os mercados internacionais a se firmarem no positivo. Na Europa, o resultado do saldo da balança comercial da Alemanha abaixo do esperado também desanima as bolsas europeias e impõe queda. Os futuros de bolsa dos EUA, operam no positivo diante do possível acordo orçamentário no Senado norte-americano.

Interno: a redução da taxa Selic para 6,75%, em linha com as expectativas do mercado e a sinalização de que o mais provável será a interrupção do processo de flexibilização direciona os preços dos ativos domésticos.

Bolsa: a queda das commodities metálicas e do petróleo conjugado com o ambiente externo ainda volátil corrobora uma perspectiva baixista para o Ibovespa. Além disso, a decisão do Copom de apontar o encerramento do ciclo de baixa da taxa Selic também deve influenciar negativamente a bolsa paulista.
Juros: os investidores devem reagir ao comunicado do Copom, após a decisão do órgão regulador de reduzir a taxa Selic para 6,75% ano ano e indicar o fim do processo de flexibilização monetária. Isso tende a impor ajustes para cima na parte curta da curva de juros, mas de forma limitada. Já os demais vencimentos, o leilão do Tesouro Nacional de papéis pré-fixados e ligeira pressão do dólar no exterior tende a agregar prêmios.
Dólar: dúvidas quanto a votação no Senado dos EUA do projeto que garante recursos adicionais ao orçamento pelos próximos dois anos e eleva o teto do endividamento até março de 2019 pressiona as demais divisas que trabalham em baixa ante ao dólar. Adicionalmente, depois de 11 cortes seguidos do juro básico no Brasil, levando a Selic para 6,75% ao ano, os investidores domésticos devem seguir o cenário externo e compra dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.