Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 08/01/2020

Brasília, 8 de janeiro de 2020

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: A retaliação iraniana com ataques de mísseis à bases norte-americanas no Iraque impactaram fortemente os mercados financeiros na noite de ontem, mas ao longo das horas seguintes os movimentos foram amenizados. Tal reação dos mercados se deve a falta de informações de mortes nesse ataque. Os agentes agora ficam de olho no pronunciamento do presidente dos EUA, Donald Trump, previsto para esta manhã. No momento, as bolsas europeias e os futuros de bolsas de Nova Iorque caiam a noite, porém ensaiam recuperação nesta manhã. O petróleo recuava depois de subir quase 4% quando o Irã iniciou os ataques. As commoditites metálicas e agrícolas sobiam, enquanto o dólar ganhava valor ante as moedas de referência (euro, libra-inglesa e iene japonês) e cedia frente as divisas emergentes.

Interno: O ambiente internacional instável diante da reação do Irã contra bases militares dos EUA no Iraque estimula a cautela dos investidores locais. No radar fica a notícia da solicitação do ministro da Justiça, Sérgio Moro, de um “crédito extraordinário” de R$ 1 bilhão disputando com a ala política do governo que pretende garantir mais R$ 10 bilhões para reformular o programa Bolsa Família em 2020. Ademais, a agenda fraca diante do recesso do Congresso direciona as atenções para a alta de 1,74% do IGP-DI de dezembro, ligeiramente abaixo das expectativas de elevação de 1,79%.

Bolsa: O clima externo volátil depois da retaliação iraniana contra bases militares dos EUA no Iraque deve ditar a cautela dos operadores domésticos. A oscilação dos preços dos ativos financeiros internacionais deve estimular uma correção dos preços (venda de papéis da bolsa diante dos ganhos obtidos recentemente) no Ibovespa. Assim, o Ibovespa tende a cair.
Juros: Apesar da situação externo ainda inspirar cautela, a queda do dólar frente as moedas emergentes (gera pressão de alta na inflação no curto prazo), nesta manhã, e alta menor do que a esperada do IGP-DI tendem a tirar pressão de alta da curva de juros futuro. Desse modo, espera-se leve baixa dos os juros futuros (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A situação delicada no Oriente Médio gera ainda preocupação para os agentes econômicos internacionais e deve impactar a taxa de câmbio local com volatilidade. Nesse sentido, o real tende a oscilar frente a moeda Yankee na sessão regular.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.