Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 07/12/2017

Brasília, 07 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: agenda de indicadores esvaziada no exterior deixam os investidores operando apenas por meio eventos pontuais e fatores técnicos. Na Àsia, segue as preocupações sobre uma possível desaceleração da atividade na China. Por outro lado, mercados europeus operam no positivo por conta do crescimento de 0,6% do PIB na zona do euro no 3T17 frente ao 2T17, em linha com as estimativas. Nos EUA, players ficam atentos às discussões sobre a reforma fiscal e ao impasse em relação ao Orçamento. Nesse sentido, o teto dos gastos expira amanhã e caso não ocorra uma resolução pode paralisar a administração pública.

Interno: mesmo após o fechamento de questão pelo PMDB, na tarde de ontem, quanto a reforma da Previdência, mercados avaliam que o governo está ainda distante dos votos necessários para aprovar a proposta. O tempo escasso deve manter a postura cautelosa dos agentes. Ademais, a sinalização do Copom de que pode promover um último corte marginal na Selic em fevereiro de 2018 também movimenta os preços dos ativos domésticos.

Bolsa: a situação difícil da reforma da Previdência no que tange a chance de aprovação ainda neste ano tende a pesar mais e impor queda do Ibovespa no dia.
Juros: a indicação do Copom de estender o ciclo de corte da taxa Selic deve provocar ajuste na parte curta da curva de juros. No entanto, o cenário de votos insuficientes para aprovação da reforma da Previdência tende a impor elevação dos prêmios dos DIs ao longo de toda a estrutura à termo.
Dólar: a apreciação do dólar ante as divisas internacionais e a persistente incerteza sobre a votação da reforma da Previdência neste ano devem pressionar a taxa de câmbio doméstica.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.