Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 07/04/2017

Brasília, 07 de abril de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo:volta ao radar dos investidores a guerra na Síria, após o ataque americano. A aversão ao risco prepondera neste começo da manhã com procura por ativos mais seguros como Treasury Bonds e o ouro. Ademais, pesa o temor de que a oferta de petróleo do Oriente Médio possa ser impactado influenciando positivamente os preços. Nesse contexto, bolsas europeias operam em baixa assim como commodities agrícolas e metálicas.

Interno: conjuntura externa mais adversa para ativos de risco e as incertezas em torno do desfecho das negociações da PEC da Reforma da Previdência reforçam o viés negativo para os ativos financeiros locais nesta sexta-feira.

Bolsa: os ataques feitos pelos EUA à Síria na noite de ontem associado às preocupações de que a PEC da Reforma da Previdência seja bastante "desidratada", tornando seu efeito quase nulo para as contas públicas, tendem a pressionar a Bovespa de forma negativa no dia.
Juros: aversão ao risco vindo do exterior devido ao ataque dos EUA, por meio de mísseis, à Síria e risco de que a reforma da previdência tenha seu texto excessivamente modificado tendem a impor novas altas nos DIs nos vencimentos de médio e longo prazos. Por outro lado, o bom comportamento da inflação com o IPCA de março registrando 0,25% (praticamente em linha com as expectativas dos analistas) deve ajudar os DIs de curto prazo a trabalhar na estabilidade.
Dolar: cenário externo ruim por conta da guerra na Síria deve pressionar as demais divisas externas ante ao dólar. No entanto, a cautela com os ativos locais tende a deixar câmbio doméstico volátil no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.