Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 07/03/2018

Brasília, 07 de março de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a notícia de renúncia do principal assessor econômico da Casa Branca, Gary Cohn, que é defensor do livre comércio e anunciou sua saída por discordar com o plano de Donald Trump de adotar tarifas sobre importação de aço e alumínio afeta negativamente as praças financeiras internacionais. A visão é de que a ala pró medidas protecionistas saiu vencedora e representa um revés para investidores que apostavam numa mudança de decisão do presidente norte-americano. No momento, bolsas europeias e futuros de bolsa de Nova York operam em baixa assim como as commodities. Quanto ao câmbio, o dólar se valoriza ante as moedas emergentes.

Interno: o ambiente externo deve impor cautela nos ativos locais em dia de poucos eventos na economia nacional. Na agenda de indicadores, a alta de 0,15% do IGP-DI de fevereiro, acima da mediana das expectativas (0,10%) pode movimentar os negócios.

Bolsa: a conjuntura externa negativa e agenda fraca no âmbito doméstico tende a impor correção de preços na bolsa paulista no dia.
Juros: a alta do dólar ante as moedas externas deve-se contrapor ao dado do IGP-DI que veio dentro do intervalo das projeções. Nesse sentido, a parte média e longa da curva à termo de juros tende a operar com viés de baixa por conta do quadro inflacionário local controlado. Já os vértices curtos devem trabalhar na estabilidade.
Dólar: a alta do dólar ante as moedas internacionais por conta da renúncia do assessor econômico da Casa Branca, Gary Cohn, que defende o livre comércio e se opunha a sobretaxa sobre aço e alumínio devem depreciar o Real frente a moeda Yankee.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.