Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 07/01/2020

Brasília, 7 de janeiro de 2020

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Depois das baixas dos mercados ontem, o dia começa mais ameno nos mercados internacionais. A falta de novidades em relação às tensões entre EUA e Irá contribui para o alívio dos investidores, mas o clima segue apreensivo com a situação. O que se tem até agora são as ameaças de retaliações por parte do Irã. O consenso entre os agentes é de que seja evitado um conflito mais amplo, pois não interessa a ambos os países. O reflexo desse sentimento foi a estabilização dos preços do petróleo ontem que encerrou cotado a US$ 68,48. No momento, as bolsas europeias, os futuros de bolsas de Nova Iorque e as commoditites metálicas sobem, enquanto o petróleo cai. No câmbio, o dólar ganha valor ante a maioria das moedas internacionais.

Interno: Em reação as tensões entre EUA e Irã, o governo e a Petrobrás tentam afastar a ideia de ingerência política nos preços dos combustíveis. O governo adiantou que prepara medidas que poderão ser usadas em momentos de crises que resultem em alta do petróleo e, consequentemente, aumento local nos preços. O investidor local também monitora a notícia de que o Irã convocou a representante do Brasil em Teerã e especula-se que isso foi em decorrência da nota publicada pelo Itamaraty após o ataque dos EUA. A nota destaca que o “Brasil condena igualmente os ataques à Embaixada dos EUA em Bagdá, ocorridos nos últimos dias, e apela ao respeito da Convenção de Viena e à integridade dos agentes diplomáticos norte-americanos reconhecidos pelo governo do Iraque presentes naquele país”.

Bolsa: A melhora do cenário externo e sinais de que o governo não pretende interferir na política de preços da Petrobrás devem ajudar o Ibovespa a recompor as perdas de ontem.
Juros: O arrefecimento das tensões entre EUA e Irã, no Oriente Médio, trás certo alívio, mas a alta do dólar frente as moedas externas (gera pressão de alta na inflação no curto prazo) tendem a impor alta dos os juros futuros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A diminuição das preocupações dos agentes financeiros internacionais com a escalada das tensões no Oriente Médio se contrapõe ao fortalecimento do dólar frente a maioria das divisas externas. Nesse sentido, o real tende a oscilar frente a moeda Yankee na sessão regular.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.