Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 06/09/2017

Brasília, 06 de setembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais ainda refletem as tensões geopolíticas entre a Coreia do Norte e EUA. Adicionalmente, o um novo furacão que deve atingir a Flórida no domingo, e também as incertezas quanto a perspectiva de juros nos EUA geram cautela nas praças financeiras internacionais. Bolsas europeias operam no negativo à véspera da decisão de política monetária do Banco Central Europeu.

Interno: a aprovação da TLP e das novas metas fiscais no Congresso, sinais mais positivos da economia e menor risco político associado ao governo geram ânimo nos investidores locais. Ademais, perspectiva de que a taxa Selic continue caindo, em dia de reunião do Copom, completa o ambiente de euforia com os ativos financeiros de risco.

Bolsa: em que pese o viés ligeiramente negativo nas bolsas externas, alta das commodities metálicas e do petróleo além do menor risco politico interno devem alavancar o Ibovespa.
Juros: em dia de decisão de taxa Selic, pelo Copom, cujas as apostas majoritárias são de queda de 1pp, os investidores tendem a ajustar a parte curta da curva à termo de forma moderada. Já os vencimentos de médio e longo prazo ainda devem refletir a melhora do ambiente interno diante da percepção de avanço da agenda econômica e da redução das incertezas políticas.
Dólar: o ambiente internacional ainda negativo pode limitar o movimento de apreciação do real ante ao dólar. Vale destacar que o otimismo com o ambiente interno deve prevalecer diante da avaliação do mercado de enfraquecimento de uma possível segunda denúncia criminal da PGR contra o presidente Michel Temer.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.