Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 05/06/2018

Brasília, 05 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: o apetite por ativos de risco prevalece nos mercados globais diante do arrefecimento dos temores geopolíticos e comerciais. A confirmação do encontro do presidente dos EUA, Donald Trump, com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, no próximo dia 11 e a negociação dos norte-americanos com a China sobre a possibilidade de encerrar a cobrança mútua de tarifas de importações são os vetores de melhora no front externo. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsa de Wall Street operam em alta, enquanto o petróleo cai. No câmbio, o dólar ganha valor ante as moedas emergentes.

Interno: o noticiário interno destaca que a Petrobrás vem negociando alternativas para a mudança da periodicidade de reajuste dos combustíveis, mas rejeita qualquer proposta que não respeite a paridade com os preços internacionais ou que represente prejuízos para o caixa da companhia. O governo busca uma fórmula para suavizar os reajustes da gasolina e do gás ao consumidor. Na agenda, a aceleração do IPC-FIPE de maio para 0,19%, no teto das estimativas, e a perspectiva de que a produção industrial de abril mostre alta de 0,3% complementam os eventos a serem absorvidos pelos agentes domésticos.

Bolsa: O ambiente externo positivo e busca do governo de uma fórmula de reajuste dos combustíveis que suavize o impacto ao consumidor e preserve a gestão da Petrobrás tendem a contribuir para um movimento de alta da Bovespa no dia.
Juros: em que pese o tom positivo no cenário externo, o fortalecimento do dólar, a aceleração do IPC-FIPE e perspectiva de alta da produção industrial devem prevalecer e impor alta da curva à termo de juros.
Dólar: a queda do petróleo e metais básicos auxilia o ganho da divisa norte-americana frente as moedas ligadas a commodities. Ademais, dúvidas envolvendo a política de preços da Petrobrás tende a depreciar o real ante ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.