Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 05/05/2017

Brasília, 05 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: investidores internacionais fecham a semana assim como iniciou, com cautela, no aguardo dos dados de emprego norte-americano e da eleição presidencial francesa. Também segue no radar declarações de dirigentes do Federal Reserve no qual espera-se alguma indicação sobre a condução da política monetária nos EUA. Quanto aos ativos, commodities e bolsas ensaiam uma acomodação, após a derrocada de ontem.

Interno: dificuldades enfrentadas pelo governo para avançar com as reformas segue no campo de visão dos investidores nacionais e estrangeiros. Ademais, o dia abre em tom de precaução e de volatilidade.

Bolsa: a forte queda das commodities no exterior observada ontem abre oportunidade para correção de preços, em que pese o clima cauteloso dos mercados financeiros globais. Por outro lado, as resistências dos parlamentares no que tange as reformas tendem a limitar uma recuperação mais efetiva do Ibovespa na sessão de hoje.
Juros: movimento externo deve impor perdas de prêmios na estrutura à termo de juros diante da abertura em queda do dólar em relação a boa parte das divisas internacionais. Nesse sentido, o câmbio ajuda a tirar pressão dos juros domésticos. Vale destacar que o imbróglio no avanço das reformas trabalhista e previdenciária também pesam nas perspectivas de retomada efetiva da economia nacional.
Dólar: a tentativa dos mercados externos em estabilizar os preços dos ativos financeiros conforme as cotações mostram que o dólar cede ante algumas moedas internacionais tendem a diminuir a pressão sobre a paridade local. Cabe lembrar que as dúvidas quanto ao andamento das reformas trabalhista e previdenciária ainda seguem sendo monitoradas pelos players domésticos. Assim, espera-se que o dólar trabalhe com volatilidade no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.