Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 05/04/2017

Brasília, 05 de abril de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo:mercados internacionais operam com viés ligeiramente positivo com investidores aguardando números do mercado de trabalho da economia norte-americana e do encontro de Cúpula entre EUA e China previsto para amanhã. No momento, players reagem às notícias de que o governo chinês pretende acelerar planos de desenvolver uma zona econômica numa área de 100 quilômetros a sudoeste de Pequim.

Interno: após o alívio com a postergação do julgamento do TSE da chapa Dilma-Temer, os operadores retomam o foco na tramitação da reforma da previdência, ainda envolto de muita incerteza. Ademais, a reavaliação de projeções de IPCA pelo Banco Central devem repercutir nos ativos financeiros domésticos.

Bolsa: comportamento global mais ameno com alta de commodities e queda do dólar ante boa parte das divisas externas devem contribuir para que o Ibovespa continue buscando recuperação. Além disso, o adiamento do julgamento do TSE e a nota do Banco Central em que corrigiu as projeções de IPCA para baixo ao fim de 2017 e 2018 reforçam a perspectiva de alta do mercado acionário brasileiro.
Juros: a nota surpreendente do Bacen em que corrigi duas das principais projeções divulgadas no Relatório Trimestral de Inflação -RTI - na semana passada dão viés de baixa para a curva de DI. A nota informa que houve problema de "erro operacional" na divulgação das projeções de IPCA no Cenário de Referência considerado para este ano e para o ano que vem. Agora as estimativas são ainda menores, de 3,6% para 2017 (e não de 3,9%) e de 3,5% para 2018 (e não 4,2%).
Dolar: a conuntura externa ligeiramente mais favorável e a protelação do julgamento da chapa Dilma-Temer pelo TSE tendem a apreciar o real ante ao dólar no dia. Vale lembrar que as incertezas com o texto da previdência limitam o otimismo.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.