Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 04/12/2017

Brasília, 04 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais operam de forma distinta com bolsa europeias e dólar subindo, enquanto petróleo cai. Na Europa, a expectativa de fim do impasse em torno da saída do Reino Unido da União Europeia estimulam positivamente as praças acionárias no velho mundo. Nos EUA, a aprovação pelo Senado no sábado da proposta de reforma tributária deu uma vitória significativa para o presidente Donald Trump. Agora, o Partido Republicano ainda precisa superar significativas divergências entre Câmara e Senado antes de preparar uma proposta conjunta e enviá-la ao gabinete de Trump.

Interno: investidores locais amanhecem mais otimistas com relação a perspectiva de avanço da reforma da Previdência, embora a situação permaneça difícil. O governo fará uma reavaliação dos votos necessários para aprovar na próxima quarta-feira, quando então as expectativas estarão mais definidas.

Bolsa: avanço da reforma tributária dos EUA devem impor valorização da divisa estadunidense ante as demais moedas internacionais. Por outro lado, a necessidade de compatibilizar os textos do Senado e na Câmara norte-americana pode resultar em atenuantes à proposta e diminuir a apreciação do dólar. Ademais, perspectivas de evolução para a reforma da Previdência, por aqui, devem limitar a tendência de alta da moeda Yankee sobre o Real.
Juros: melhora das projeções de crescimento do PIB brasileiro, pelo boletim Focus, para este ano (0,89%, de 0,73%) e para 2018 (2,60%, de 2,58%) e alta dos juros norte-americanos devem pressionar de forma altista a parte média e longa da curva à termo de juros. Já para os vencimentos mais curtos tende a ter movimentos contidos diante das expectativas definidas para a próxima decisão do Copom.
Dólar: praças acionárias externas operando no azul deve dar suporte para que o Ibovespa mantenha o viés de alta no dia. No entanto, incertezas internas relacionadas a agenda de reformas segue como limitador do movimento.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.