Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 04/06/2019

Brasília, 04 de junho de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Os mercados internacionais ensaiam uma melhora dentro de um contexto de maior volatilidade e insegurança dos investidores. Os agentes também avaliam os próximos passos do Federal Reserve (Banco Central dos EUA) em relação a condução dos juros diante das expectativas de que a autoridade irá corta a taxa ainda este ano. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsas de Wall Street operam em alta, ao passo que o dólar cede ante a maioria das divisas emergentes. As commodities agrícolas sobem, enquanto os insumos metálicos caem. Petróleo oscila.

Interno: A aprovação MP 871 (que combate as fraudes e irregularidades no INSS) no Senado, ontem, mostrando avanço das pautas no Congresso e percepção favorável dos agentes em torno da reforma da Previdência contribuem para o viés positivo no âmbito doméstico. Ademais, declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de que a forma correta de estimular a economia é pela credibilidade da política monetária também deve movimentar os negócios. Na agenda, a previsão de alta da produção industrial do mês de abril será o destaque.

Bolsa: A conjuntura externa positiva para as bolsas diante das expectativas de que o Federal Reserve pode cortar os juros e avanço de pautas no Congresso devem manter o viés de alta para o Ibovespa no pregão regular.
Juros: A queda do dólar ante as moedas emergentes (tira pressão da inflação no curto prazo) e ambiente político melhor atuam como vetor de baixa para a curva de juros. No entanto, as declarações do presidente do Bacen, Campos Neto, de que não deve mexer nos juros para não comprometer o controle da inflação e queda das taxas dos últimos dias tendem a puxar para cima os juros futuros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O ambiente internacional melhor e avanço de pautas importantes no Congresso devem impor queda do dólar ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.