Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 04/05/2017

Brasília, 04 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais começam o dia melhor com ganho das principais bolsas diante dos resultados corporativos e de indicadores de atividade. As vendas no varejo na região do euro surpreendeu positivamente e corrobora o viés positivo. Quanto as eleiçõres francesas, os investidores estão confiantes na vitória do centrista Macron. Nos EUA, após a sinalização de ontem do Fed de que vê desaceleração da economia como transitória reforçam as apostas de elevação do juro básico em junho.

Interno: a aprovação do texto da reforma da Previdência na Comissão Especial não tirou as incertezas dos agentes, pois há chamces de novas concessões durante a tramitação no Plenário. Esta perspectiva tende a pressionar os ativos financeiros locais e impor correção de preços.

Bolsa: a queda das commodities no exterior e dúvidas quanto a aprovação no Plenário da Câmara dos Deputados da proposta de reforma da Previdência devem pressionar o Ibovespa negativamente no dia.
Juros: a alta dos Treasuries americanos em virtude das expectativas de que o Fed eleve o juro básico em junho e incertezas quanto ao efeito prático da reforma da Previdência nas contas públicas - por conta das chances de novas concessões - tendem a impor elevação da curva à termo de juros.
Dólar: expectativas de aperto monetário nos EUA corroborado por melhora dos dados do mercado de trabalho, queda das commodities e dúvidas sobre a tramitação das reformas no Congresso - previdenciária na Câmara e trabalhista no Senado - devem apreciar o dólar ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.