Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 04/04/2017

Brasília, 04 de abril de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: investidores amanheceram na defensiva diante dos sinais econômicos recentes a fim de ajustar a precificação dos ativos financeiros após o 1º trimestre mostrar resultado bastante positivo. Fica para o dia as expectativas por dados da indústria dos EUA. Enquanto isso, o dólar segue apreciando ante a maioria das divisas externas e bolsas europeias seguem com viés negativo.

Interno: em que pese as incertezas locais com ligeiro aumento da volatilidade, players domésticos operam de olho no julgamento do TSE, na produção industrial e na presença de Ilan Goldajn, presidente do Banco Central, no Senado.

Bolsa: o comportamento global não favorece a propensão ao risco neste começo de dia diante da quedas das bolsas europeias e alta do dólar. Ademais, fatores internos seguem como direcionadores com os agentes monitorando o julgamento do TSE da chapa Dilma-Temer e o pronunciamento de Ilan, presidente do Banco Central, na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. No entanto, o mercado não espera piora no caso do TSE e o Ibovespa pode buscar nova recuperação no dia amparado também pela alta das commodities.
Juros: a parte curta da estrutura à termo de juros deve operar na lateralidade por conta de já está precificado os cortes de juros pelos agentes financeiros. Para a parte média e longa da curva tende a ocorrer alguma pressão de alta influenciado pela valorização do dólar ante ao real, bem como pelas incertezas políticas.
Dolar: a apreciação do dólar ante as demais divisas externas motivado por correção de preços (dólar cedeu 3% no 1º trimestre ante a uma cesta de moedas) tendem a pesar na paridade doméstica. Assim, espera-se que o real deprecie ante a moeda norte-americana nesta terça-feira.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.