Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 03/08/2017

Brasília, 03 de agosto de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: bolsas europeias e os índices futuros em Wall Street operam de lado, limitadas pelos níveis elevados em que se encontram. Números favoráveis na Zona do Euro e Reino Unido ajudam a manter o clima tranquilo no velho continente. Na agenda econômica dos EUA, à espera de números do setor de serviços e do mercado de trabalho corroboram ligeira estabilidade do dólar.

Interno: a decisão da Câmara dos Deputados pelo arquivamento da denúncia contra o presidente Temer dão ânimo para os investidores locais. Os números da votação entram na precificação dos ativos diante da possibilidade de retomada da reforma da Previdência. Por ora, prevalece a percepção – não garantida – de que os 263 votos “sim” com os ausentes (19), as abstenções (2) e os tucanos (21) que votaram contra Temer, mas devem votar a favor das reformas, está batendo no quórum da PEC da reforma da Previdência (308 deputados).

Bolsa: os mercados financeiros externos voláteis e os patamares em níveis elevados do Ibovespa podem suscitar uma realização de lucros no dia para o principal índice acionário doméstico.
Juros: operadores locais devem ajustar os prêmios com a confirmação da rejeição da denúncia contra o presidente Temer, já que a avaliação agora passa a ser as chances de aprovação da reforma da Previdência. Além disso, o Tesouro realiza leilão de LTN e NTN-F o que pode trazer alguma pressão sobre a estrutura à termo de juros. Nesse sentido, espera-se que a curva opere na estabilidade.
Dolar: o movimento lateralizado no exterior da divisa norte-americana conjugado com a expectativa de retomada da agenda da reforma da Previdência pelo Congresso, após a Câmara dos Deputados ter arquivado ontem a denúncia criminal contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva, tendem a propiciar volatilidade na taxa de câmbio doméstica.

Fechamento dos mercados 02/08/2017

Ibovespa: a bolsa fechou ontem aos 67.135 pontos em alta de 0,93%, embalada pela expectativa de vitória folgada de Temer na votação da denúncia contra ele na Câmara dos Deputados.

Juros futuros: a estrutura à termo de juros fechou em baixa influenciada pela rejeição da denúncia contra Temer.

Dólar: a taxa de câmbio fechou ontem em baixa cotado a R$ 3,1202/US$ diante do cenário político doméstico.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.