Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 03/06/2019

Brasília, 03 de junho de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: A queda dos índices de atividade industrial na Zona do Euro, Alemanha, França e Reino Unido reforça as preocupações dos efeitos da guerra comercial entre EUA e China. Enquanto o petróleo recupera valor diante das expectativas de que a Opep+ (grupo que reúne Organização dos Países Exportadores de Petróleo e outros grandes produtores que não pertence ao cartel) chegue a um acordo para manter a oferta limitada. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsas de Wall Street operam em baixa, ao passo que o dólar oscila ante as divisas externas.

Interno: A previsão de votação da MP 871 (que combate as fraudes e irregularidades no INSS) e consequentemente sua aprovação hoje no Senado ajuda no viés positivo para o mercado doméstico. O aumento na aposta de sucesso no avanço da reforma da Previdência não apaga o ceticismo permanente em torno da capacidade de articulação política do governo. No momento, permanece as expectativas de aprovação da reforma da Previdência que gere boa economia para o Estado no médio e longo prazo.

Bolsa: A conjuntura externa ruim pode limitar a perspectiva de avanço do Ibovespa, no dia, com base na melhora do ambiente político interno. Sendo assim, o Ibovespa tende a subir no pregão regular.
Juros: A inflação corrente baixa, atividade econômica fraca, perspectivas de inflação menor, de acordo com a pesquisa Focus, e cenário político doméstico tranquilo tendem a deixar os juros futuros trabalhando em baixa (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O ambiente internacional negativo deve ter menor peso nos negócios locais diante da percepção de melho no cenário político interno. Assim, o dólar deve ceder ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.