Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 03/01/2018

Brasília, 03 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: investidores mantêm bom humor observado ontem, o que sustenta o impulso nas principais praças financeiras internacionais. O dólar inicia as cotações buscando acomodação após as perdas generalizadas desta terça-feira. Na agenda, os players aguardam a divulgação da ata do FOMC (Comitê de Mercado Aberto do Fed) no final da tarde. As perspectivas são de que os dirigentes do Fed mantenham as previsões de gradualismo no ajuste monetário nos EUA.

Interno: a percepção de melhoria da economia com inflação baixa conjugado com a expectativa do julgamento do ex-presidente Lula no dia 24 de janeiro ainda contagia os investidores locais. Ademais, as especulações de que o Bacen poderá estender o ciclo de queda da taxa Selic para além de fevereiro e perspectiva do governo de fechar com déficit nas contas públicas de 2017 bem inferior ao previsto são fatores que estimulam os preços dos ativos de risco.

Bolsa: com agenda esvaziada por aqui, o Ibovespa deve seguir com movimento positivo na esteira de notícias positivas da economia doméstica. Vale lembrar que a informação da cobrança de R$ 17,0 bilhões, em tributos, pela Receita Federal, da Petrobrás pode limitar o ímpeto do índice acionário paulista.
Juros: os juros futuros devem operar com viés de baixa, espelhando o clima mais positivo no exterior e com as perspectivas econômicas domésticas melhores. Além disso, rumores de que o governo pode fechar 2017 com déficit bem inferior ao previsto tendem a reforçar a estimativa de ligeira queda da curva de juros.
Dólar: apesar da recuperação do dólar ante as demais moedas externas, em meio ao movimento de realização de ganhos da véspera, investidores locais mais otimistas com a economia doméstica tendem a manter o viés de alta da moeda nacional.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.